5 PASSOS PARA RESOLVER QUALQUER PROBLEMA

“Viver é enfrentar um problema atrás do outro. O modo como você o encara é que faz toda a diferença.”
— Benjamin Franklin

A capacidade de resolver problemas é considerada uma das melhores definições da palavra inteligência e também é considerada uma habilidade intrínseca aos grandes empreendedores, líderes e realizadores. Entretanto, nem toda pessoa inteligente sabe utilizar a essa capacidade de forma objetiva. Já outros, embora não tenham pontuações consideradas altas nos testes de Q.I., conseguem resolver problemas com bastante eficiência.

Qual será então o segredo desses mestres que resolvem problemas com tanta naturalidade?

Segundo o escritor americano Scott Halford (da famosa e conceituada empresa Complete Intelligence) revela que a capacidade de resolver problemas não é mais algo que pode ser “negado” ou “deixado de lado”, ao contrário, precisa estar intrínseca a empresas e pessoas que buscam se posicionar de forma estratégica no mercado e na vida.

Antes de revelar os 5 passos, quero identificar (para que você nunca mais se engane) os três mitos que considero importante explicar para compreender e aproveitar melhor as dicas:

Mito 1: Resolução de problemas e pensamento crítico são a mesma coisa.
Fato: Resolução de problemas é uma subdivisão do seu primo maior, o pensamento crítico. Resolução de problemas lida com a questão imediata, enquanto o pensamento crítico é necessário para as questões relacionadas a estratégias de longo prazo.

Mito 2: Bons resolvedores de problemas agem intuitivamente.
Fato: Intuição é uma parte importante do processo, mas pesquisas mostram que o resolvedor de problemas mais sistemático tem um melhor retorno com soluções mais precisas e bem-sucedidas.

Mito 3: Se você chegar a uma boa solução, você é um bom resolvedor de problemas.
Fato: Existem 5 passos para uma extraordinária resolução de problemas e você precisa seguir cada um deles para sagrar-se um profissional especialista no assunto.

Seguir esses 5 passos vai ajudar você a se tornar um mestre resolvedor de problemas, e, manter-se focado nas soluções, fará com que você evolua sem limites na sua carreira e em qualquer área da vida.

1. Identifique: Identificar o problema certo a resolver é frequentemente onde as pessoas tropeçam. Não é tão simples quanto você pode pensar (passe por cima deste passo por sua própria conta e risco e sofrerá as consequências). Pense num negócio que tenha problemas de receita. Pode haver algumas centenas de razões para esse problema. Fazer as perguntas certas e ser um bom detetive ajuda a enquadrar o problema com precisão. O bom resolvedor de problemas faz muitas perguntas sobre qual é de fato o problema, em vez de adivinhar e já tomar decisões rápidas.

2. Idealize: Agora que você tem uma lista reduzida do que o problema pode ser, faça um brainstorming sobre todas as possíveis soluções. O melhor brainstorming acontece quando você tem a oportunidade de confrontar ideias. Coloque as pessoas certas na sala e pense no máximo possível de soluções. Este não é o momento de avaliar. O processo psicológico de gerar ideias não é o mesmo para avaliá-las e ambos não podem funcionar ao mesmo tempo. Ambos são processos críticos, mas não desligue a idealização ligando a avaliação.

3. Avalie: Agora sim você avalia as ideias que surgiram na fase de idealização. Avalie primeiramente com base no impacto de cada ideia em direção ao objetivo e, em seguida, com base na complexidade da ideia. Complexidade não é o mesmo que dificuldade. Ao invés disso, ela é determinada por duas coisas: tempo e dinheiro. A ideia pode trazer resultados bem-sucedidos no tempo que você tem disponível? E ela cabe no seu orçamento? Pergunte-se pelo tamanho do impacto da ideia. Se você está tentando cortar R$ 22.000 do orçamento e pensa numa ideia que economiza R$ 100,00, o impacto é relativamente pequeno. Uma com R$ 1.000 se mostra uma solução de mais impacto. Você está em busca de ideias de alto impacto e baixa complexidade.

4. Execute: Este é outro passo que os resolvedores comuns de problemas frequentemente pulam. Não adianta nada chegar a uma grande ideia e depois estragá-la na execução. Todos nós já participamos daquelas reuniões em que as ideias passam pelo brainstorming e são afuniladas até chegar a algumas tarefas possíveis, tudo para sair da reunião e nunca mais saber quando ou como as ideias serão executadas. Infrutífero. Pense num plano para concretizar sua ideia. Você não precisa ser o sujeito que vai executar todo o plano, mas, como um resolvedor de problemas, você tem alguma responsabilidade pela implementação da solução.

5. Reexamine: O passo final é checar o progresso da solução e determinar se ele ainda é o mais apropriado. Haverá momentos em que o problema ainda vai existir, porque a solução não terá sido certa. Mas não jogue a toalha. Volte ao passo número 2 e escolha outra solução para tentar.

Resolução de problemas é uma habilidade que compensa maravilhosamente. Pratique os passos acima de modo que você se torne eficiente neles. Requeira isso das pessoas que trabalham com você. E então execute. Coloque nos funcionários o hábito de sempre chegarem com pelo menos uma solução para cada problema que você identificar. Sem problemas!

“Os problemas nunca vão desaparecer, mesmo na mais bela existência. Problemas existem para serem resolvidos, e não para perturbar-nos.”
— Augusto Cury

Amor e Sabedoria.

Thiago Tombini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s