COMO VOCÊ SABE QUE ESTÁ EM HARMONIA COM OS SEUS REAIS PROPÓSITOS DE VIDA?

Viver em harmonia com a família, amigos, colegas, trabalho, espiritualidade, novas experiências, lembranças do passado e a ansiedade do futuro, nem sempre parece tão possível. Porém, devido a uma série de convicções limitantes, conflitos internos e externos e uma profunda insatisfação, torna-se ainda mais difícil tomar uma decisão altamente eficaz. Mas, posso garantir que impossível não é!

Conheci há 7 anos atrás uma grande pessoa, que logo se tornou um grande amigo, e, que antes de ser um milionário, muito bem-sucedido em seus negócios, foi um sem-teto. Ele me contou que era um sem-teto porque se via, ouvia, sentia e pensava como um sem-teto, e com tudo isso acontecendo, não conseguia sair do lugar, cada dia se afundava mais. Naquela época, se preocupava em fazer o mínimo para a sua sobrevivência e não se imaginava em outra vida, vivia cada dia sem pensar no próximo e suas convicções estavam no controle da sua vida, e o grande problema é que suas convicções eram tremendamente catastróficas.

Primeiro, ele me disse que pesava 125 quilos, e quem o vê hoje, não consegue imaginar isso. Sua convicção sobre o seu peso era: “Não tenho culpa de ser gordo e não tenho motivos para me querer de outra forma, de Deus quer assim, será assim”. Segundo, ele me disse que vivia com problemas com dinheiro, mesmo antes de ser mendigo, não conseguia guardar dinheiro, e acumular patrimônio então, nem pensar. Sua convicção sobre o dinheiro era: “Não nasci para ser rico, não tenho essa sorte, e dinheiro demais torna as pessoas ignorantes”. Terceiro, ele me disse que seus relacionamentos eram uma vergonha, toda vez que se envolvia com alguém com quem poderia construir amizade, ideias, ou mesmo um namoro ou casamento, a coisa despencava de uma hora para outra. Sua convicção sobre os relacionamentos era: “As pessoas não são aquilo que mostram ser, sempre mentem para si próprias e acabam prejudicando a vida de todos que estão a sua volta”. Existiam tantas convicções limitantes, que se tornava impossível conseguir nascer, crescer e evoluir algum pensamento, sentimento ou comportamento realmente importante dentro dele. As suas convicções limitantes estavam matando seus sonhos, aqueles que residiam dentro do seu peito, e que, de tanto viver em dor, não os reconhecia mais.

Um certo dia, ficou muito doente, precisou de hospital, e foi acolhido por um senhor que passava na calçada e o viu deitado, abatido e clamando por socorro. Mesmo sujo, fedido e desconhecido, o senhor o ajudou, cuidou dele, acreditou no homem por trás daquilo que via. Enquanto estava no hospital, o senhor não o abandonou, ficou ao seu lado, quis saber o que ele tinha e o tratou como um filho. Sentindo uma sensação diferente no seu coração, após receber alta, resolveu agradecer a pessoa que havia salvado a sua vida, e surpreendentemente, se tornaram grandes amigos, passaram a conviver juntos, e logo ele começou a sentir mais amor pela vida, pelas pessoas, por tudo o que se manifestava na sua frente. Do momento onde encarou a morte de frente, devido a uma grave intoxicação alimentar, conseguiu transformar na maior oportunidade da sua vida, e jurou para si mesmo que não deixaria aquilo escapar por entre os dedos, como vinha fazendo durante toda a sua vida.

Em seis meses já estava empregado, trabalhando, feliz, conhecendo um novo mundo. Em um ano, estava assumindo um cargo de gerência, namorando e com uma boa poupança. Em três anos, havia chegado a diretor da empresa. Passados cinco anos, estava quase se formando na universidade, e começava a pensar em investir no seu próprio negócio. Seis meses mais tarde já estava montando a sua própria imobiliária, já estava ministrando aulas como professor efetivo, começava o seu primeiro livro, comprava a sua primeira casa, e se preparava para o seu casamento. Imagine só, em menos de uma década, já estava casado, com duas filhas, dois livros, morava em uma casa de mais de 1 milhão de reais, num dos bairros mais nobres de Santos, em São Paulo, tinha o seu próprio helicóptero, e era considerado um dos maiores especialistas em imóveis de alto padrão e marketing. Seu peso? Agora pesava 80 quilos, estava feliz, estava saudável, estava desfrutando da vida (como desfruta até hoje).

Quando pedi a ele o que causou essa verdadeira revolução na sua vida, ele respondeu: “As minhas convicções limitantes não permitiam que eu conseguisse ser próspero, e com o meu pensamento focado em tantos problemas, não tinha tempo para pensar em soluções ou fomentar alguma coisa criativa. Quando percebi que a vida estava me dando uma oportunidade, não pensei duas vezes, disse a mim mesmo que queria libertar tudo aquilo que estava preso no meu peito e viver uma vida nova. Hoje tenho orgulho de quem me tornei, e tenho orgulho das convicções que criei para a minha vida”.

Você deve pensar “mas ele é sortudo” ou “isso não acontece todo o dia”. Posso garantir que ele fez a própria sorte e que isso acontece todos os dias, as oportunidades aparecem sempre, para todas as pessoas, não tem dia, lugar ou hora, elas sempre chegam, mas é necessária muita atenção, porque muitas vezes ela aparece nos momentos que menos se imagina.

Se eu pudesse dar um conselho a você, hoje, seria: “Reveja todos os dias as suas convicções e entenda o que as coisas realmente significam para você”. Se você não entender as suas convicções será dominado por elas, e se priorizar as coisas erradas viverá a sua vida desfrutando de decepções, frustrações e lamentações diárias e contínuas, com cada vez mais agravantes e mais dor.

“O pior limite não é aquele que é imposto pelos outros, mas aquele que é imposto por nós mesmos.”
— Thiago Tombini

Amor e Sabedoria.

Thiago Tombini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s