COMO DEIXAR O PASSADO QUE DEVE FICAR PARA TRÁS NO PASSADO

Todo mundo passa por situações difíceis: doenças, separações, perdas de entes queridos, demissões e até mudanças radicais no trabalho. Quando isso acontece, é natural viver um momento de luto. Mas, às vezes, a mágoa e a amargura resultantes tomam tamanha proporção que não nos deixa seguir em frente.

Para evitar esse cárcere emocional, essa prisão mental, o ideal é recorrer à chamada faxina emocional. Em outras palavras, momentos difíceis são ótimos para limpar os sentimentos e se desfazer das emoções negativas que nos prendem. “Em todos nós, existe a capacidade de resiliência (capacidade de enfrentar adversidades). Precisamos ser como o bambu, que se verga, mas não se quebra”, diz a psicóloga clínica Dorly Kamkhagi, do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O primeiro passo desta limpeza, após admitir a dor, é desvencilhar-se emocionalmente do que ficou no passado. Por exemplo, se o ex-marido ou a ex-mulher não eram bons, se o filho não o reconhecia, mas não vive mais com você, se você não recebeu o prêmio que esperava, deixe para trás. “Nos afetos, precisamos fazer uma atualização emocional. O que não faz mais parte da nossa vida tem que deixar de ser importante”, recomenda.

E segundo a psicóloga, o perdão é essencial neste processo. “Não o perdão benevolente, mas uma abertura de espaço dentro de você, para vivenciar outras coisas. Se continuar carregando aquela carga, acabará se atrofiando psicologicamente”.

Outra atitude importante é, em vez de ficar se questionando por que aquele fato doloroso aconteceu, é melhor perguntar-se para que aconteceu. “As coisas acontecem para mudarmos. Portanto, aproveite o momento para olhar para si, ouvir a opinião dos outros sobre você, se organizar e se reequilibrar”, diz a especialista que acrescenta que este é o melhor momento para fazer transformações emocionais verdadeiras e mudar paradigmas.

Em sua opinião, ter uma crença religiosa ajuda a superar as dificuldades. E, sempre que necessário, vale contar com o apoio de um terapeuta. “Aos poucos, no dia a dia, a pessoa vai se abrindo para o novo e deixa o sol entrar. Afinal, tolerar as frustrações é um caminho para crescimento. E ter esperança é o mais importante neste processo”, conclui.

“O problema é sempre a ausência de um problema que nos movimente, ou a presença de um problema que nos paralise.”
— Thiago Tombini

Amor e Sabedoria.

Thiago Tombini

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s